sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Eu e o rapel

As minhas lembranças mais felizes de infância sempre me remetem à fazenda do meu avô. Passávamos muitos finais de semana por lá, andando à cavalo, pescando, nadando na piscina, brincando de esconde-esconde, jogando vôlei, bet... mas sempre em contato com a natureza.
Já na época de faculdade, eu adorava passar os finais de semana na chapada ou em Piri. Sempre adorei trilha, cachoeira, mato. Resumindo: mantive meu gosto pelo contato com a natureza. Tambem nunca tive muito problema com altura, pois sou do tipo de pessoa que fica grudadinha na janela do avião olhando a paisagem quase desaparecer lá embaixo.
Por isso no ano passado eu resolvi me arriscar a fazer uma coisa que eu sempre tive vontade, que unia duas coisas que me dão prazer: altura e natureza. E fui fazer rapel.
Combinei com uma amiga que fazia parte de um grupo super legal em Brasília para fazer o curso e no dia seguinte, me aventurar pelo Buraco das Araras, um local que tem caverna e um paredão de 60 metros. No dia do rapel, acordei as seis da manhã para me arrumar e encontrar com o pessoal no posto do Colorado, próximo à entrada de Sobradinho, cidade satélite de Brasília.
No total, éramos 15 pessoas. Todos já tinham descido de rapel, menos eu, a Laís e a Laura. Todos os outros já faziam isso de olho fechado e com uma mão só! A ida foi uma animação só: colocamos música alta no carro, fomos dançando, cantando e falando besteira até lá.
Ao chegar no local, fiquei impressionada com o visual. O Buraco das Araras é simplesmente LINDO. O lugar é literalmente um buraco no meio do nada e tem uma caverna logo abaixo. Para descer, só de rapel. Para subir, só escalando.
A primeira a enfrentar o desafio foi a Laura. Colocou o equipamento, ouviu as explicações do instrutor e foi. Dez minutos depois ela voltou chorando, dizendo que nunca teria coragem de fazer isso. A Laís foi a segunda. Ela nem pensou muito no que estava fazendo e em menos de 5 minutos já estava feliz e contente sorrindo para as fotos e descendo de rapel. Parecia tão fácil!
Chegou minha hora. Coloquei o equipamento e me prendi à corda de segurança. Passei pela Najla, a minha amiga, que estava sentada na ponta do despenhadeiro, balançando as pernas no ar como se estivesse a menos de 30 cm do chão. Peguei na mão de um dos meninos e fui descendo até o local do início da aventura: uma árvore. As instruções eram: me prender à corda do rapel, me soltar da corda de segurança, abraçar a árvore e me soltar para descer, enquanto os meninos faziam a segurança lá embaixo. No momento em que cheguei na pedra ao lado da árvore e olhei a altura, o medo começou a tomar conta de mim. Eu senti meu corpo inteiro tremer. Respirei fundo e abracei a árvore. Neste momento, o Fernando, que estava ao meu lado gritou para os meninos que estavam embaixo: gente! puxem a corda! Nessa hora eu senti o tranco. E me desesperei! E agarrei a árvore com toda a força do mundo! Ele falava: - Bel, você já está fazendo rapel. Se solta da árvore que você não vai se mexer. Para isso, você tem que ir puxando a corda. Enquando eles estiverem segurando lá embaixo você não sai do lugar, a menos que você queira.
Mas eu já estava tomada pelo medo, gritando pra ele sair da minha frente. Foi o maior mico da minha vida. Me diverti horrores, mas não tive coragem de descer. Um dia eu ainda faço o rapel.
Mas ficou de recordação essa fotinha aí embaixo, que mostra bem o meu medo, agarradinha na árvore!

12 comentários:

Fafa disse...

Amiga a sua cara de MEDO é a melhor! Ahahahahaah

Love u

Fafa

Paula Menna Barreto Hall disse...

Bel, me lembrei de quando fui saltar de pára-quedas. Chorei horrores e me joguei lá de cima. E não é que ainda subi de novo?!! Uma vez fiz um rapel curto na Chapada Diamantina, com uma amiga, na próxima vou com você!! beijos

Juju disse...

Amiga, vc agarrada nessa árvore me lembrou muito aquela cena da Bridget no cano dos bombeiros. Kkkkk!
Ei, não acredito que nós ainda não fizemos isso! Vc é minha companheira de aventuras oficial, vc sabe disso, né!
Love you demais!
Bj

Antonio Ximenes disse...

Bel.

Meus parabéns pela "coragem".

O meu medo de altura me faz ficar longe... beeeeem longe de escadas e janelas de prédios.

Quanto mais de coisas do tipo RAPEL.

Deus me livre e guarde... rs.

Se eu estivesse lá com você... estaria no chão... bem sentado em uma cadeira... tomando uma cervejinha gelada e olhando para cima... dizendo:

- Olha como essa minha amiga é corajosa !!!

rsrsrsrs

Bom Final-de-Semana.

Abração pra tu.

Felipe Campbell disse...

Ei, eu também fui alguams vezes, na minha adolescência, à sua fazenda!!! São lembranças ótimas pra gente - não sei se para a sua mãe, hehehhee... Adorava ir lá com os menions e vocês. :)

Sobre o rapel, eu fiz o meu primeiro há uns 4 anos, no Poço Azul. Queria até fazer mais, confesso. Eu até gosto de esportes radicais, fiz alguns na Nova Zelândia (inclusive um bungy jumping de 138m), mas não tenho hábito. Tenho um amigo que pula de pára-quedas. MEeeedo!!!

E seu blog ou tá muito internacaional ou tem alguns spammers muito chatos sujando sua caixa de comentários, hehehe...

Beijocas!!!

Bel Lucyk disse...

- Fafastica, eu senti um medo que eu nao achei que fosse capaz. Perdi a linha no baile. Mas tenho certeza que um dia eu tenho coragem. Deve ser fantastico!
- Paula, voce teve coragem de pular de paraquedas! Qdo eu crescer eu quero ser assim tbem! ahahahah mas olha, qdo vc vier pelo Brasil, ta combinado! Vamos fazer rapel! =) beijos
- Antonio, foi coragem mais ou menos, ne! Pq eu amarelei bonito na hora! =) Acho que se eu tivesse tomado cerveja antes. Alias, um tequila, eu tinha descido sem pensar! ehehehehe bj
- Boris, lembro demais de vcs la na fazenda. Eu adorava!Alias, todo mundo, inclusive mamys, tenha certeza! PS - vou apagar o que for spam. beijocas

Bel Lucyk disse...

amiga! bridget vc me sacaneou bonito! Maaaas se vier acompanhado de um Mark Darcy, que mal tem, ne! Sinto saudade das nossas aventuras ecologicas! ahahahah love u, girl
beijo

Madame Mim disse...

Ai, menina...adoro rapel, adoro esportes radicais.
Jà fiz na serra do mar aqui no PR, e nas Cataratas, maravilhoso.
Mas a primeira vez dá medo mesmo.
Beijão!

Bel Lucyk disse...

- Rapel nas cataratas deve ser coisa de outro mundo! Eu também adoro esportes radicais. Nao necessariamente praticá-los! kkkk
Tô pensando em me matricular numa escola de surf pra começo de conversa. Nada de altura por eqto! eheheheh beijos

Dante Accioly disse...

Essa na foto é você? Tá uma mistura de coala com bicho-preguiça! :) Beijo!

Bel Lucyk disse...

ahahahahahahah
coala com bicho-preguiça foi ótimo! =)
pense numa pessoa com medo!

ROBERTA disse...

Amiga, sua cara é a melhor... como disse Fafa... que desespero..
Me diverti lendo sua história, mesmo já tendo escutado umas 10 vezes!
love u