quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Mundo da Música





Sempre fui ligada em música. Fiz 6 anos de piano há alguns anos. Estudei partitura, história da música e aprendi a tocar alguns clássicos. Deixei de lado o piano na época do segundo grau. Mas nunca perdi a vontade de tocar.
Assisti a uma apresentação da OSESP (Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo) e decidi que era hora de tocar violino. Já tive um, na mesma época do piano, mas acabei não fazendo aulas e me desfiz dele há alguns anos.
Fui me matricular na aula, mas o professor só tinha horários para pessoas que não trabalham, tipo às 9 da manhã ou 2 da tarde. Para não deixar a vontade esfriar novamente, resolvi fazer violão enquanto isso.
A primeira aula foi um tanto quanto diferente da rotina do piano. Foi sem partitura e eu achava estranho olhar para o que o professor fazia para repetir o movimento dele. Aos poucos, descobri que isso te ajuda a prestar mais atenção no som, ao invés de ler o que tem que tocar.
Quando ele perguntou qual música eu gostaria de aprender primeiro, respondi sem pestanejar: Bilhetinho Azul, do Cazuza. Mas meu professor não conhece essa música. Escolhi, então, Sem Compromisso, de Chico Buarque.
Mas comecei a desvendar os segredos do violão ao som de Metallica. Uma melodia simples, ao menos os primeiros acordes! Mas foi interessante entender a lógica e eu consegui visualizar a posição das notas do piano, o que tornou o processo bem mais fácil, acredito eu.
Mas o mais curioso foi descobrir que o traste mora no violão. Você sabia disso? Descobri na minha primeira aula.




10 comentários:

Bróder disse...

Como assim, vc começa a fazer aulas de violão e não me conta?!!!! Pagodinho pra vc!!!!! Oraaaaaaaaaaaa!!!!

eeeeeeeeeeeeee, daqui um pouco a gente monta a The Lucyk´s... já tem violão, percussão, vocalista e vários dançarinos, perfeito!;)

Bel Lucyk disse...

Eita, Dani Bróder! Nem tinha me tocado disso! kkkk
Acho que nossa primeira apresentação pode ser no casório do Rafa! kkkkk beijos e saudades
Tô feliz demais que vc tá chegando, viu?

Felipe Campbell disse...

O traste mora na guitarra também. E sou dedde já o maior incentivador de você adentrar no universo musical na era balzaquiana. Eu tambem fiz piano (tres anos) quando era adolescente. E foi bom pra me dar uma noção de teoria musical, que ate hoje ainda serve pr aalguma coisa.

Ano passado, aos 31, eu decidi me matricular num curso de guitarra. Comprei uma, comprei amplificador e comecei do zero. Tem nove meses isso e curto bastante a brincadeira. Me dei um prazo de quatro anos pra aprender, ao meu ritmo, sem cobrança (hoje em dia sou eu que pago e nao admito levar esporro de professor). O aprendizado é 50 vezes mais lento do que quanto moleque, ate porque as articulações dos dedos ja estao formadas e é mais complicado alcançar acordes quetêm notas com cinco ou seis casas de separação.

Mas, alem dos trastes, meus problemas mesmo sao as pestanas e a coordenação entre mao direita e mao esquerda. Tipo eu fico horas penando pra montar o acorde na mao esquerda, mas bato nas cordas erradas na mao direita. Como resovler? eu, pelo menos, tento estudar uma hora seguida de duas a tres vezes por semanna em casa. é pouco pra quem quer aprender musica dirieto, mas é o que posso fazer.

E to de cara com vc aprendendo metallica. Fade To Black?

Beijocas

nai disse...

Bel, adorei a idéia da Dani da banda Lucky's, acho que podia ter lugar até por Zeca.

Bel Lucyk disse...

-Bóris, para de contar pro mundo que eu tenho 30! Oraaaaa. ehehehheh
Pois é, foi The Unforgiven do Metallica. Mas só o começo, pra aprender o dedilhado básico. A próxima deve ser Nirvana - Come as You Are... ehehehehhea.
Eu concordo também. Tô pagando nao quero ninguem enchendo o saco, apenas me dando suporte! eheheheheh
beijos
- Nai, o Zeca vai ser um dos dançarinos na banda, certamente! Ou o segurança! Ele adora fazer o trabalho em troca de snacks. beijos

Dante Accioly disse...

Como é bom poder tocar um instrumento. :)

Paula Menna Barreto Hall disse...

Ei, Bel, agora só falta dar pinta em Brasília e tocar com o senhor Dante!! Risos. Já fiz aulas de violão e piano. Minha voz é um desastre e acho que música não é lá meu forte mesmo!! Risos. beijão

ANDREA MENTOR disse...

Em casa cresci com meu pai tocando piano. Ele toca qq musica, de ouvido, sem partitura e a gente acha o máximo desde sempre. Meu irmão foi o único que herdou ouvido pra musica... Eu, minha irmã e minha mae só apreciamos... O máximo Bel!!! Quando eu for pra sua terra com meu pai te aviso e a gente marca de se encontrar... Num sábado qq. Não ia ser muuuuuito legal?

Beijo

ANDREA MENTOR disse...

PS - Quem "mes" mora no violão? Traste? Nuncaouvifalá... Me explica?!

Bel Lucyk disse...

- Dante, eu concordo! Passei o final de semana dedilhando! =)
- Paula, eu nem me atrevo a cantar! Mas tocar eu adoro. MESMO.
- Andrea! Eu acharia uma delícia! Quando vier pra Fortaleza, não deixa de me avisar. Não pra tocar com seu pai, pq eu ainda estou nos primeiros acordes e não conseguiria acompanhar, mas para irmos para um mesa de bar papear! Seria ótimo!
PS - Traste é o "tracinho" que separa os quadrantes no violão e a cada novo traste, tem-se uma nota diferente! eheheheh No fundo, traste é bom!