sábado, 18 de abril de 2009

Onde foi parar?

o sono da hora do almoço?
as noites bem dormidas?
a tranquilidade do café da manhã?
a atualização constante do blog?
as caminhadas no final do dia?
os minutinhos diários no msn para falar com meus amores de Brasília?
os updates frequentes com os amigos de cá?
os lanches no final do dia?
os happy hours?
as baladas do final de semana?
as séries prediletas sendo acompanhadas semanalmente?
as páginas dos livros que eram lidas diariamente?

Ah sim, o tempo está indo embora por causa do trabalho.
Mas quer saber? Estou feliz!
Produzir é uma das coisas que mais me realizam...
O resto daqui a pouco se encaixa no tempo que restar!

Para acompanhar:
Oração ao tempo, de Caetano Veloso.



Caetano Veloso - Oração ao Tempo

8 comentários:

Edelson disse...

Olá!

Às vezes faço a mesma pergunta. Onde foi parar o meu tempo? Aliás ele não para! Muitas coisas deixamos de fazer... Mas se o que conseguimos fazer é o que nos torna bem e felizes, então tá bão demais!

Bjus

Bel Lucyk disse...

Edelson,
concordo contigo! Até porque fazer aquilo que escolhemos. Então... parte-se do princípio que o tempo está sendo bem utilizado!

Ludmila disse...

bel de isabel, eu nao sei onde foi para nada, mas sei que estamos nos devendo um ahappy hour... e talvez um cineminha, e quem sabe umas caminhadas na beira-mar... que tal??? beijo!!!

Bel Lucyk disse...

Lud, eu vou adoraaaaar ter sua companhia para as caminhadas! Saudade de vc, Maria! Vamos colocar todos esses planos em prática o mais rápido possível. até porque somos nos que escolhemos o que fazer com nosso tempo, né? beijos

Vivian disse...

...olá linda!

lendo você, me lembrei
deste texto perfeito:

Deus pede estrita conta
de meu tempo.
E eu vou do meu tempo,
dar-lhe conta.
Mas, como dar, sem tempo,
tanta conta.
Eu, que gastei, sem conta,
tanto tempo?
Para dar minha conta feita
a tempo, o tempo me foi dado,
e não fiz conta.
Não quis, sobrando tempo,
fazer conta.
Hoje, quero acertar conta,
e não há tempo.

Oh, vós, que tendes tempo
sem ter conta, não gasteis
vosso tempo em passatempo.
Cuidai, enquanto é tempo,
em vossa conta!
Pois, aqueles que, sem conta, gastam tempo, quando o tempo chegar, de prestar conta
chorarão, como eu, o não
ter tempo...

"Frei Antônio das Chagas"
(Por volta do Século XVII.)

bjo

Fafá Póvoas disse...

Miga lindaaaaa! O texto eu achei por acaso em um dos meus "passeios" pela net. Não sei de quem é não! Só sei que é lindo demais né?

AMOOO

Madame Mim disse...

E eu lembrei dessa música aqui:
Mesmo quando tudo pede/Um pouco mais de calma/Até quando o corpo pede/
Um pouco mais de alma/A vida não para...
Enquanto o tempo/Acelera e pede pressa/Eu me recuso faço hora/Vou na valsa/A vida é tão rara...
(...)
Eu sei, a vida é tão rara/A vida não para não...
(...)
Será que é tempo/Que lhe falta pra perceber?/Será que temos esse tempo/Pra perder?/E quem quer saber?/A vida é tão rara...
(...)
A vida não para!/A vida é tão rara!

beijos

Bel Lucyk disse...

- Vivi, adorei esse texto! Fantástico!
- fafástica, vou procurar saber de quem é aquele das gavetas. Muito bom tbém!
- Cris! adoro essa música! Como vc está de férias? Beijos