segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Domingo



Acordei cedo neste domingo, pois era dia de corrida e eu queria assistir com minha mãe, em sua casa. Aliás, acho emocionante quando o Rubinho tem chances reais de chegar ao pódio, porque eu só acredito que ele chega no pódio quando a corrida termina, então a adrenalina é alta o tempo todo. Numa escala de probabilidades, era muito mais fácil ele ter errado na última volta e não o Hamilton.
Mas esse não é o assunto deste post.
Desci para passear com meu digníssimo cão e no meio do caminho encontramos uma senhora. Ela falou alguma coisa que não ouvi por causa do ipod, tirei o fone de ouvido e olhei pra ela, que sorria pra mim. Daí ela repetiu:
- Esse cachorro é da raça Fox Terrier?
- É. Ele é um fox paulistinha.
- Eu tive um na época da escola. Amava meu cachorro. Um dia ele foi me encontrar na porta de casa, quando eu chegava da escola e foi atropelado por um carro. Nunca mais tive coragem de ter cachorro. A gente se apega a esses bichos e eles acabam sendo família.
- É verdade. Eu brinco que esse aqui é meu filho de quatro patas.
- Nossa, não gosto de lembrar. Até hoje me dá vontade de chorar.

7 comentários:

Madame Mim disse...

Repito: o Zeca é um gato.:)
Cachorrinho mais fofo.

RC disse...

Se o Zeca é um gato, minha gata é um cão...

Bel Lucyk disse...

RC,
acho lindo a Mim falar que o Zeca é um gato. Mas não pega bem você chamar sua gata de cão! kkkkkkk

Madame Mim disse...

Bel, eu acho que o RC tá implicando com o Zeca, coitadinho do cãozinho!!!ahahah
Ele é o maior gato sim! :)
bjos

Renata disse...

kkkkkk
isso aqui é diversão pura!
Eu que nem tenho lá essas afinidades com os bichinhos me sensibilizei com o texto.. Lindo, Bel!
saudades, viu?
P.S: eu quero pão de queijo!!!!
kkkkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

mas e aí? acaba assim mesmo?

Bel Lucyk disse...

esse pequeno retrato? aham!