segunda-feira, 1 de março de 2010

Lugar de cachorro é longe da janela

Já viram aqueles desenhos animados em que o personagem fica preso em algum lugar e ele fica com a língua pra fora e com os olhos esbugalhados?  Pois é, eu tive a oportunidade de ver isso acontecendo ao vivo e a cores ontem pela manhã.
Depois de caminhar no Parque da Cidade, fui para a casa da minha mãe almoçar, como de costume. Já estava a caminho quando lembrei que precisava voltar para pegar um suplemento para minha vó. Ao abrir a porta de casa avistei meu cão deitado no sofá, que ficou me encarando com aqueles olhos carentes que todo cachorro sabe fazer quando quer alguma coisa. E eu, nem um pouco influenciável, resolvi levá-lo comigo.
Como estava no carro da minha irmã, tratei de pegar todos os papéis soltos no banco e colocar atrás, fora do alcance do Zeca, que já estava posicionado na janela da frente, com a pata de fora apoiada no retrovisor e prestando atenção em tudo que acontecia ao seu redor. 
E assim começamos nossa pequena viagem dominical. Lá pelas tantas, comecei a ouvir "Last Caress" ao som de Metallica e aumentei o volume porque adoro a música. E é mais ou menos automático pisar mais forte no acelerador porque o ritmo me empolga. E foi aí queo caos se instalou.
Por causa da velocidade, os papéis lá atrás começaram a voar. Olhei pelo retrovisor e não era possível parar porque tinha carro atrás de mim. Para quem conhece a cidade, sabe que não tem acostamento nos eixinhos da cidade e tentando evitar que os papéis voassem, apertei os botões para que os vidros subissem. Fiquei prestando atenção para ver se a estratégia tinha dado certo e no meio do barulho da música identifiquei um choro. Foi uma fração de segundos até eu conseguir entender o que estava acontecendo: Zeca continou o tempo todo curtindo a viagem com a cabeça e a pata em cima do retrovisor e eu nem lembrei dele quando vi os papéis voando. Fechei o vidro no pescoço dele e a cena, se nao fosse trágica, seria hilária: ele se debatia enquanto tentava tirar a cabeça, em vão, da janela.

ps - quando consegui um lugar para estacionar o carro, me tremia inteira. Ele nem se lembrava do que tinha acontecido e continuava se divertindo na janela.

Um comentário:

Joana disse...

Coitado de Zecoco! Por isso o olho esbugalhado dos últimos dias...