terça-feira, 3 de agosto de 2010

Run, Forrest!

Quando esse blog tinha pouco mais de um mês e eu ainda morava em Fortaleza, fui assistir a uma corrida de revezamento do Pão de Açucar. E naquele mesmo post eu prometi publicamente que participaria da prova no ano seguinte.
E realmente tentei me preparar para isso: voltei a correr alguns meses depois, mas logo tive que parar porque inventei de me exercitar 7 vezes por semana e o que eu ganhei não foi condicionamento físico, mas uma tendinite na pata anserina que me custou praticamente 15 dias sem colocar o pé no chão. Depois disso, voltei a caminhar, mas de forma bem descompromissada.
No ano seguinte, na data em que eu deveria cumprir minha promessa, tinha acabado de voltar para Brasília e não estava com cabeça para participar de qualquer corrida. Depois de um tempo, voltei a malhar e por causa de estresse, tive uma bela crise de labirintite que me deixou fora de academia por mais de um mês. E quando eu voltei, todo o pique já tinha ido embora e eu evadi da academia em seguida.
Três meses depois, resolvi recomeçar da forma correta: me juntei a 3 amigos e contratamos um personal (isso aconteceu em meados de abril). Os primeiros 30 dias foram dedicados apenas à resistência e condicionamento físico. Os próximos viraram corridas no parque e quando me flagrei, já estava correndo 6 km. Dessa vez, não corria 7 vezes por semana, mas apenas 4. Claro que não fiquei isenta de dores e na primeira reclamação do meu joelho, já marquei consulta com um especialista.
E enquanto a hora marcada como médico não chegava, continuei correndo, mas devagar. Mas, aos poucos, meus amigos foram desistindo. E eu... eu continuei. Acordava cedo para ir ao parque e lembro de ter enfrentado temperaturas de apenas um dígito (e digo, é muita força de vontade correr no frio. No começo, até gostava, mas logo virou sofrimento...).
Depois, troquei as madrugadas (que me renderam fotos lindas do amanhecer) pelas tardes. Cada dia ia para o parque com uma companhia diferente, ou sozinha. O joelho parou de reclamar e minhas tíbias resolveram dar o ar da graça, sorte que na semana da consulta com o médico, que me instruiu a ir para a academia (sugestão já acatada), tomar suplementos e mudar minha alimentação, já que o diagnóstico foi uma calcificação nos ossos decorrentes de uma osteopenia.
E em meio a tudo isso, uma amiga me ligou numa tarde de sábado me chamando para participar da Corrida do Fogo, bem tradicional na cidade. Claro que de véspera não foi possível me inscrever, mas fui assim mesmo. E ali na Esplanada, num final de tarde de domingo, comecei a correr para tentar alcançar 10 km. Nesse dia, consegui completar apenas 7 km e os outros 3 fui caminhando. E quando cruzei a linha de chegada, a sensação foi a melhor de todas.
Claro que no dia seguinte, abri o calendário de corridas na cidade e procurei uma para me inscrever. E uma das primeiras que vi foi a do Pão de Açucar, aquela que havia prometido que participaria... não pensei duas vezes. Nas últimas 4 semanas montei a equipe, tirei amigos do sedentarismo, tentei acompanhar outros mais profissionais, senti muita dor nas tíbias, dei um tempo de correr e só caminhei e o mais importante: não desisti e me diverti muito com tudo isso.
Domingo foi o grande dia. E poucas pessoas devem ter acordado tão motivadas quanto eu, mesmo que fosse às 6:30 de um domingo. A Esplanada dos Ministérios estava lotada e às 8 da manhã, eu abri o revezamento da minha equipe. Corri devagar para evitar maiores problemas, me ensopei de água a cada posto de hidratação para dar conta do tempo seco de Brasilia e depois de 5,275 km passei a braçadeira para o meu irmão e assim sucessivamente até que nós 8, juntos, totalizássemos os 42 km, depois de 4 horas.
E eu, depois de dois anos, cumpri o prometido! E sábado tem mais...

6 comentários:

camilamaximo disse...

Ah, eu quero fazer parte desta equipe também!
Beijo da Cacá para a minha escritora predileta!!!

Bel Lucyk disse...

Cacá! Sara logo esse pé!
Vai ser muito legal vc correr com a gente! =)
Beijocas

Joana disse...

Eu também quero!

Bel Lucyk disse...

Jow, vc tá mais do que convidada! =)

Ludmila disse...

criatura tu é uma atleta!!!!!! que inveja!!!! eu aqui num tem andando direito! uma volta no quarteirão é uma "danação"! kkkkk
beijo, saudade!

Bel Lucyk disse...

amiga! pra atleta falta um tanto, mas tô aqui, correndo atrás do tempo perdido (literalmente! ahahahahah)
saudade de vc tbém! beijos