segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

365 dias


O final do ano é sempre uma época de reflexão.
É aquele período que você faz um balanço pra saber se o ano foi bom e definir algumas metas para o ano seguinte.
Não me lembro de ter escrito minhas resoluções para 2013, até porque eu já sabia o queria desse ano que está terminando quando tomei a decisão, ainda em setembro de 2012, de vir morar em Fortaleza. E hoje completo exatos 365 dias nesta cidade. De novo.
Criei este blog em 2008 quando resolvi, num impulso, me mudar para Fortaleza. E depois de 1 ano e meio, quando finalmente voltei para Brasília, eu sabia que eu não voltaria pra cá nunca mais.
Mas a vida é assim: não existem escolhas irredutíveis, não existem dogmas, não existem coisas que não podem ser revistas. E que bom que é assim. Quando fui embora daqui, em 2009, eu sabia que não voltaria porque eu estava em busca das minhas raízes e queria ficar perto dos meus.
Em 2012, quando decidi voltar pra cá, fiz uma escolha de vida, daquelas em que você decide o tipo de pessoa que você quer ser, como pretende levar seus dias daqui pra frente e o que é realmente importante. O resto... o resto é resto. 
Bem, até novembro do ano passado eu trabalhava numa empresa que eu amava, com pessoas que eu adorava e que me realizava bastante profissionalmente. Mas, depois dos trinta, você começa a pensar em outras coisas além de trabalho. E no meu ritmo de vida eu jamais conseguiria focar muito na minha vida pessoal. E não estava pensando só em vida afetiva, mas em qualidade de vida. Enfim... eu estava pensando nas raízes que fui buscar quando voltei pra Brasília ainda em 2009...  e  eis que recebi uma proposta de trabalho excelente e desafiadora, que me demandaria muita responsabilidade. E esta proposta, além de me proporcionar a realização profissional, que é imprescindível na minha vida, também me possibilitaria cuidar de todos os meus outros lados.
E foi por isso que aceitei, não sem antes pensar muito e trocar ideia com pessoas muito importantes na minha vida e resolvi voltar a morar num lugar que eu sabia (ahahahah) que eu nunca mais moraria.
Três meses depois que cheguei aqui, em 2008 (já disse que foi uma decisão sem pensar, né?), eu me perguntava diariamente o que eu fazia aqui. Fortaleza, nessa época, foi um aprendizado muito difícil. Passei por fases bem complicadas e só pensava em voltar pra casa. Mas sempre soube que se eu pudesse voltar no tempo, teria feito exatamente a mesma coisa porque cresci muito neste período tão difícil.
Por isso, voltar pra cá, 5 anos depois poderia parecer um ato insano. Mas não. Fortaleza já não era uma página em branco pra mim. Eu sabia o que esperar  e, principalmente, o que eu queria, além de saber o que eu deveria fazer pra minha passagem por aqui ser diferente. E fiz. E venho fazendo.
E a minha decisão foi tão acertada que dessa vez, depois de três meses, eu já me sentia em casa. Não vou dizer que foi fácil porque nem tudo nessa vida são flores. Mas este ano que está acabando foi bem produtivo e cresci muito profissionalmente (e ainda tenho um caminho muito longo para desafio que me propus).  
E hoje consigo conciliar o que estava buscando quando vim pra cá, há 365 dias:  trabalho e vida fora do trabalho. Dessa vez, Zeca veio comigo, o que faz uma diferença absurda na minha sensação de estar em casa. E mesmo não estando na mesma cidade, minha família também está bem presente: convivo diariamente com meu pai, que também mora aqui. Mas também convivo intensamente com meus irmãos e minha mãe. No meu telefone, que antes só o Zeca reinava nas fotos, hoje a maior parte do espaço é reservado ao meu sobrinho, que nasceu ano passado e fez uma revolução na minha vida: hoje, quando chego em Brasília, não quero saber de farra. Quero saber do João.
Aqui em Fortaleza, tratei de me movimentar: me matriculei numa pós, entrei numa assessoria esportiva, fiz trabalho voluntário, voltei a meditar e a cuidar de mim. Fui à Brasília algumas vezes e em nenhuma delas eu quis ficar. Recebi visita de vários amigos de lá e os visitei sempre que fui.  E dessa vez, fiz vários amigos aqui e resgatei todos os que fiz da minha última passagem por aqui. E talvez essas pessoas não saibam como foram e são importantes na certeza que tenho de que tomei a decisão certa.
Se vou ficar em Fortaleza para o resto da vida, só o tempo dirá. Já aprendi que eu não posso dizer com certeza onde estarei daqui a 5 anos. Mas o que posso dizer, depois de um ano, é que estou feliz, em paz. E hoje eu sei que eu tomei a decisão certa.
Que venha 2014 e mais 365 dias aqui!

Nenhum comentário: